Histórico:

- 13/05/2007 a 19/05/2007
- 06/05/2007 a 12/05/2007
- 29/04/2007 a 05/05/2007
- 15/04/2007 a 21/04/2007
- 04/03/2007 a 10/03/2007
- 25/02/2007 a 03/03/2007
- 18/02/2007 a 24/02/2007
- 11/02/2007 a 17/02/2007
- 04/02/2007 a 10/02/2007
- 28/01/2007 a 03/02/2007
- 21/01/2007 a 27/01/2007
- 14/01/2007 a 20/01/2007
- 31/12/2006 a 06/01/2007
- 24/12/2006 a 30/12/2006
- 17/12/2006 a 23/12/2006
- 10/12/2006 a 16/12/2006
- 03/12/2006 a 09/12/2006
- 26/11/2006 a 02/12/2006
- 19/11/2006 a 25/11/2006
- 04/07/2004 a 10/07/2004
- 20/06/2004 a 26/06/2004
- 16/05/2004 a 22/05/2004



Outros sites:

- Meus rastros
- Semeando palavras
- Blog da Analu
- Blog da Ana Praline
- Blog da Menina Trovão
- Blog da Sueli
- Blog da jornalista Shay
- Blog da Siamesa
- Blog Vila Aconchego
- Blog da Val
- Blog do Andrade Jorge
- Blog da Daniella
- Blog da Juliana
- Blog Reflexos da Alma
- Blog da Rosejc
- Blog do Fernando Farias
- Blog do Adriano Peoh
- Blog do Lelê
- Abrindo Janelas
- Infinito ao infinito...
Templates by Thiago


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Contador:

Créditos:

Templates By Thiago



Momento:Vinicius de Moraes


Desalento

Sim, vai e diz
Diz assim
Que eu chorei
Que eu morri
De arrependimento
Que o meu desalento
Já não tem mais fim
Vai e diz
Diz assim
Como sou
Infeliz
No meu descaminho
Diz que estou sozinho
E sem saber de mim 
 


Diz que eu estive por pouco
Diz a ela que estou louco
Pra perdoar
Que seja lá como for
Por amor
Por favor
É pra ela voltar
 


Sim, vai e diz
Diz assim
Que eu rodei
Que eu bebi
Que eu caí
Que eu não sei
Que eu só sei
Que cansei, enfim
Dos meus desencontros
Corre e diz a ela
Que eu entrego os pontos

 



- Postado por: Petra Brasil às 13h53
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Melancolia...

Há dias em que você teme existir! Jamais pensei dizer essa frase com

veemência.

Talvez eu esteja amadurecendo, descobrindo os espinhos em meio a flores

exuberantes.

Estou vivendo uma fase difícil. Tento me segurar em mim mesma temendo

o meu peso.

Acredito que somente eu possa me sustentar atualmente, mas sem evitar

os tombos.

No mês de agosto minha família descobriu que namoro há quatro anos com

uma grande amiga da família.

Isso perturbou a ordem e mexeu com os conceitos e preconceitos deles.

Alguns superaram, outros me toleram e uma pessoa fundamental na minha

vida me matou.

Sim, minha madrinha – minha mãe adotiva – me matou!

Deixei de merecer o respeito, o amor, a dignidade da mãe que me renegou.

Não aquela que me pariu, mas a que me acolheu.

Nesse momento, devo render homenagens a minha mãe biológica, ela me

colocou novamente em seu ventre e me protegeu do rancor alheio.

Redescobri o amor da minha mãe...

Neste Natal eu fui definitivamente condenada e expulsa do convívio saudável

com a minha madrinha.

Nenhuma palavra de carinho, nenhum olhar de reaproximação.

Eu, sem saber como ignorar tanto amor que sinto por ela, ficava a espera

de migalhas de compreensão.

- Tudo em vão! Depois da oração clássica da meia-noite tive apenas um

abraço impessoal, daqueles que damos a desconhecidos somente por

convenções sociais.

Minha dor vem em forma de pergunta: será que tudo o que restou foi

indiferença?

Da minha parte fica a melancolia, a tristeza de ter perdido o acesso a

quem amo.

No entanto, de todas as experiências que vivemos sempre existe um

ângulo que podemos enxergar algo de bom.

Eu sigo em frente, com muitos arranhões, mas com a consciência de

quem eu sou!

Bem-vinda, maturidade!

Melancolia! Que eu sobreviva no final das ondas...



- Postado por: Petra Brasil às 12h58
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Momento:Ana Cristina Souto


 Insônia

A ansiedade maltrata
essas pálpebras cansadas.
Agonizo minha insônia com presságios
- ilusões defuntas.

Teço os olhos em teias de aranhas
Tortura infinda;
Desfaço meu sonhos em cinzas.

- Sono afã –

Busco-te à exaustão;
devorando livros
e em cada página
as horas esvaem-se em minutos.

- Insônia
      Ah! Ladra das noites!

Chega a manhã com o canto dos pássaros.
Minha vigília e aflição
estampam
- além dor
      minha face cotidiana.



- Postado por: Petra Brasil às 10h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________


Layout Exclusivo por Thiago de Oliveira - Todos os direitos Reservados!