Histórico:

- 13/05/2007 a 19/05/2007
- 06/05/2007 a 12/05/2007
- 29/04/2007 a 05/05/2007
- 15/04/2007 a 21/04/2007
- 04/03/2007 a 10/03/2007
- 25/02/2007 a 03/03/2007
- 18/02/2007 a 24/02/2007
- 11/02/2007 a 17/02/2007
- 04/02/2007 a 10/02/2007
- 28/01/2007 a 03/02/2007
- 21/01/2007 a 27/01/2007
- 14/01/2007 a 20/01/2007
- 31/12/2006 a 06/01/2007
- 24/12/2006 a 30/12/2006
- 17/12/2006 a 23/12/2006
- 10/12/2006 a 16/12/2006
- 03/12/2006 a 09/12/2006
- 26/11/2006 a 02/12/2006
- 19/11/2006 a 25/11/2006
- 04/07/2004 a 10/07/2004
- 20/06/2004 a 26/06/2004
- 16/05/2004 a 22/05/2004



Outros sites:

- Meus rastros
- Semeando palavras
- Blog da Analu
- Blog da Ana Praline
- Blog da Menina Trovão
- Blog da Sueli
- Blog da jornalista Shay
- Blog da Siamesa
- Blog Vila Aconchego
- Blog da Val
- Blog do Andrade Jorge
- Blog da Daniella
- Blog da Juliana
- Blog Reflexos da Alma
- Blog da Rosejc
- Blog do Fernando Farias
- Blog do Adriano Peoh
- Blog do Lelê
- Abrindo Janelas
- Infinito ao infinito...
Templates by Thiago


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Contador:

Créditos:

Templates By Thiago



Carnaval de São Luís para todo o Brasil!

A folia da cidade é garantida pelos blocos de rua, com eternas marchinhas e

o tradicional Tambor de Crioula. No Maranhão, a festa começa bem cedo,

em dezembro.

A apresentadora do Bom Dia Brasil Renata Vasconcelos, que fez papel

de repórter em sua passagem por São Luís, ficou encantada com o

luxo das fantasias dos blocos tradicionais.

   



- Postado por: Petra Brasil às 11h21
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




 

Eu sou vítima do ciúmes e não sei mais como

manter-me sã e, ainda assim, ajudar meu algoz!



- Postado por: Petra Brasil às 17h14
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




            Ciúmes            

Segundo o escritor e pensador, Roland Barthes (1915-1980), o ciumento sofre quatro vezes, pois esse sentimento o exclui, o torna agressivo, o deixa louco e, por ser um sentimento banal, comum, pode-se ainda observar sua complexidade.

Isso acontece quando em uma rápida consulta ao dicionário, conhecemos todas as suas nuances: dor, respeito, inveja, medo da perda, fraqueza, zelo e rivalidade. Por tudo isso ele nos torna refém de sua interpretação em nossa vida na busca da felicidade e realização amorosa.

Muitas pessoas não imaginam o amor sem ciúmes, fazendo às vezes crer no lugar comum que amor e ciúmes se completam (ou será que se destroem?).

Podemos também falar do ciúme ligado à posse que faz parte do desenvolvimento psicossexual. Desenvolver o sentido do `isso é meu!´ traduz a necessidade de limites e espaços.

Após Freud, podemos classificar o ciúme em duas categorias: o ciúme normal, esse que acabo de descrever, e o neurótico ou paranóico, delírio puro.

Mas de concreto e prático devemos nos atentar ao sofrimento não só do ciumento, mas também da pessoa amada, pois esse sofrimento é a medida que anuncia a normalidade ou não desse sentimento.

Em um relacionamento devemos dar espaço a crises de todos os tipos, inclusive de ciúmes. Mas ela deve estar circunscrita a fatos reais, pois a fragilização que uma crise permite a visita de fantasmas passados que se misturam aos traumas e aos fatos, provocando uma mistura explosiva. É muito importante que cada um de nós saiba como lidar em nossa própria história com esse sentimento.

É preciso admitir o ciúme como um conteúdo seu e não do outro, entendendo o que o desencadeia e qual foi a situação real que o provocou.

Falar abertamente de uma dor tem efeito analgésico e auxilia na diminuição do sofrimento, trazendo paz suficiente para que se elabore melhor as dificuldades e medos.

De qualquer forma, o ciúme é sempre um sinal de alerta barulhento e atordoante.

*Trechos do texto de Márcia Atik é Psicóloga especialista em Sexualidade
Fale com ela:
marlaw@zipmail.com.br

 



- Postado por: Petra Brasil às 17h09
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Fulgás

Estendi um braço e de repente fui erguida! Quem acompanha meus dilemas nesse blog sabe que venho falando sobre meu relacionamento de quatro anos e as dificuldades de mantê-lo. Pois bem, compartilho com vocês que neste último final de semana a vontade de melhorarmos como espíritos e consequentemente como seres conscientes falou mais alto em nossos corações, refiro-me à minha namorada e companheira. Por estarmos tão feridas desistimos de empunhar as armas e nos rendemos ao descanso das mentes em descoberta. Silêncio, reflexão, conduta, responsabilidade.

Grata surpresa: descobri que vivia presa dentro de uma caixinha de músicas e que não era somente a bailarina exibicionista que rodopia seu egoísmo. Sim, vivo dentro de uma caixa de música com aroma de rosas, mas também não sou uma jóia.

Revelação: sou a melodia dessa caixinha de música que em dias chuvosos, como o de hoje, sai do seu confinamento espalhando musicalidade e harmonia. Entre solfejos, descobri-me salvando a mim mesma e à minha relação.



- Postado por: Petra Brasil às 11h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________


Layout Exclusivo por Thiago de Oliveira - Todos os direitos Reservados!